Modificar o pensamento

Deixe um comentário

Segundo o autor Ken Keyes em seu livro: “O Centésimo Macaco”, estudos com macacos selvagens japoneses, realizados por mais 30 anos, revelaram uma situação que prova a transmissão energética do pensamento. No ano de 1952, os pesquisadores deram batatas-doces sujas de areia aos macacos da ilha Koshima. Eles não comeram por que não gostaram; entretanto, uma macaca chamada Imo levou as batatas a um riacho e as lavou para comer. Ensinou essa descoberta aos outros macacos de sua tribo, os quais passaram a agir do mesmo jeito. A grande descoberta se deu então em 1958, quando determinado número de macaco já sabia e se utilizava o benefício da descoberta: colônias de macacos de outras ilhas começaram também a lavar as batatas. Os pesquisadores concluíram que, quando uma quantidade de indivíduos, que adquiriram determinado conhecimento, atinge um certo número ainda não definido cientificamente, esse novo conhecimento passa a ser transmitido de uma mente para outra em forma de energia e à distância.

Essa é mais uma experiência científica que vem provar a possibilidade de os pensamentos poderem ser sintonizados por outros e serem transmitidos energeticamente. Embora o estudo comprove que o pensamento de um grupo seja mais forte no processo de expansão energética, também na esfera individual o pensamento sai de uma pessoa, atingindo o mundo externo em forma de energia.

O  Documentário “Quem somos nós?”, produzido por Willian Arntz e Betsy Chasse deixa claro:

“Estamos presos a certos preceitos sem saber disso. É um paradoxo. O materialismo moderno  tira das pessoas a  necessidade de se  sentirem responsáveis por suas vidas,  assim como a religião!  Mas eu acho que se  você levar a mecânica quântica a sério,   verá que ela coloca a responsabilidade nas  nossas mãos e não nos dá respostas reconfortantes…

A física quântica calcula apenas possibilidades. Em vez de pensarmos nas coisas como possibilidades, temos o  hábito de pensar que  os objetos que nos  cercam existem sem a nossa contribuição, sem  a nossa escolha…  Você precisa banir essa  forma de pensar e reconhecer que no mundo material, as cadeiras, as mesas, as salas, os tapetes – não são nada além de possíveis movimentos  da consciência.

E eu estou escolhendo momentos nesses movimentos para manifestar minha experiência atual. É algo radical que  precisamos compreender, mas é muito difícil, pois achamos que o  mundo já existe independente da nossa experiência.  Mas não é assim e a física quântica é bem clara.

O próprio Heisenberg, depois da descoberta  da física quântica, disse que os átomos  não são objetos, são tendências. Em vez de pensar em objetos, você deve  pensar em possibilidades. Tudo é possibilidade subconscientemente! “

A personagem que atua na história desenvolvida no Documentário passa por um processo de descobertas que a leva experienciar profunda transformação sobre sua visão da vida e sua capacidade de se modificar, a partir de nova conduta de pensamento, decorrência disso todo um momento vivido por todos os seres humanos. Enquanto isso, vários cientistas concedem depoimentos, manifestando suas ideias e descobertas importantes da Física Quântica que estão transmutando profundamente os conceitos até então conhecidos. 

Os estudos a partir da Física Quântica visam, entre tantas possibilidades, o conhecimento mais amplo do homem sobre ele mesmo, sua origem e seu destino após a existência terrena. Do Documentário em destaque, retiramos algumas reflexões dos cientistas entrevistados, expostos a seguir. 

O homem acabou sendo colocado, como vítima indefesa do contexto externo. Nesse sentido, o materialismo e as religiões nas mãos de pessoas menos capacitadas para seu sacerdócio acabaram por tirar a capacidade de o ser humano agir efetivamente, como lhe é inato. Porquanto, segundo as visões propostas pelo materialismo e pelas religiões mal direcionadas, ao homem não cabe o poder decisório de sua vida. Contestando essa ótica equivocada, as experiências da Física Quântica têm colocado em nossas mãos a responsabilidade de influenciar de modo significativo em nosso interior e também fora de nós. Com esse enfoque, fica a passagem citada pelo referido Documentário. 

Todo o mundo material foi moldado de acordo com nosso consciente/inconsciente, coexistindo, cada qual, em vários lugares ao mesmo tempo. Nós escolhemos (inconscientemente) onde vê-las. Já está sendo documentada em laboratórios de experiências quânticas a localização de um mesmo objeto em vários lugares simultaneamente, inclusive com registros fotográficos.

A todo o momento as pessoas estão afetando inconscientemente a realidade externa. Se não o fazem consciente é porque desacreditam de sua possibilidade de realização. As pessoas formam pensamentos positivos e querem modificar um estado de coisa desagradável em suas vidas, porém logo em seguida os apagam, pois se convencem, quase sempre, tratar-se de simples tolice. Acabam dizendo ou pensando que não conseguem modificar efetivamente o mundo exterior. Mas, se você acreditar com todo o seu ser que pode andar sobre a água, isso acontecerá.  O pensamento positivo é verdadeiramente um conceito maravilhoso. Mas  geralmente temos  uma névoa de  pensamento positivo cobrindo uma enorme massa de  pensamento negativo. Pensar positivo apenas disfarça o nosso pensamento negativo. Por isso é importante o orai e vigiai. Quando o cientista no documentário citado acima imputa também às religiões o fato de o homem não conseguir enxergar a sua possibilidade de criador ele desconheceu os princípios básicos da Doutrina Espírita que diz que os pensamentos humanos plasmam o mundo em que vivemos. Desta forma é imprescindível que passemos todos, ou pelo menos uma grande maioria, pensar positivamente, vendo positivamente e sentindo positivamente. A única forma de transformar toda a negatividade que paira sobre a Terra precisa ser totalmente destruída. Essa é a Lei de Destruição de que fala a Doutrina Espírita. Não cabe, portanto, continuarmos tentando controlar nossos pensamentos para o lado positivo, se soltarmos as redes do lado negativo. O ser humano é responsável pela mudança que está acontecendo no planeta neste momento, em todos os sentidos, tanto no positivo, quanto no negativo. É preciso decidir o que queremos.

Na verdade muitos acreditam que precisamos da ajuda exterior para compreender isso ou então para conseguir aquilo. Não! Precisamos da nossa transformação interior. Precisamos acreditar em nossa capacidade criativa. Somente ela conseguirá a verdadeira modificação deste estado de coisas que destrói lentamente o planeta. Basta a decisão interna de mudar os maus hábitos e passar a pensar o Bem, dizer o Bem, fazer o Bem, ver somente o Bem, assim ele se instalará definitivamente em nosso planeta azul e… pasme, no Universo.

Que o Mestre Jesus, que a todos deu o exemplo de que podemos, continue a nos orientar para o desenvolvimento do pensamento positivo e criador da realidade.

Agora é a hora da mudança!

Deixe um comentário

Há momentos em que nos sentimos no limite das nossas forças. Isso tende inclusive a aumentar nos próximos tempos que se aproximam.

Nesses momentos, tudo à nossa frente torna-se um enorme vazio e, pouco importam nossa capacidade e nossos conhecimentos, pois somos tomados por um desânimo maior que nós mesmos.

Isso acontece indistintamente a todos nós, por vivermos ainda dentro desses invólucros carnais densos e, enquanto aqui estivermos, estaremos sempre à mercê desses altos e baixos, que são relacionados à nossa ignorância sobre nós mesmos.

Mas, apesar disso, lá no fundo de nossas almas ouvimos a voz de nosso espírito nos dizendo que não podemos parar, nos incentivando através de energias que desconhecemos, a prosseguir nossos caminhos e assim, ultrapassarmos os obstáculos, por nós mesmos criados. Nada é criado por outras pessoas em nossas vidas, mesmo que assim nos pareça. Somos os responsáveis por nossas vidas e temos o que criamos e merecemos.

Quando entendemos essa Verdade e chegamos nesse momento significa que encontramos em nosso interior a presença Eu Sou. Começamos vencer a inércia, que nós mesmos criamos para não crescermos, pois crescimento implica liberação de nossos apegos.

Esse momento representa em nossas vidas, o nossos ponto de partida! E esse ponto de partida está atrelado a mudarmos completamente o curso de nossa história, que apenas acontecerá, se nos livrarmos de tudo o que não mais nos serve. De absolutamente tudo.

Oremos e façamos nossa parte. Então teremos o “faça e Te ajudarei”. Confiemos mais em nós mesmos.  Somos os criadores das nossas vitórias e das nossas derrotas.

Façamos boas obras, sejamos melhores seres humanos, que seremos ajudados. Sigamos adiante, confiando que não estamos sós, confiando principalmente na Energia Suprema que ilumina cada um de nossos passos, que é nosso próprio espírito, que é a nossa própria integração com Deus.

Ninguém pode interferir  em nosso livre arbítrio. Somos os arquitetos de nosso futuro, os responsáveis pelos nossos sonhos e pela realização de cada um deles.

Lembremos a todo instante que o futuro ainda não existe. Existe apenas o agora e é no agora, que o estamos criando.

Tomemos as rédeas de nossas vidas, antes que seja tarde. Somos centelha de Luz Divina e é assim que precisamos nos ver.

Compreendamos e aceitemos isso, que tudo muda à nossa volta.

Aqui estamos em aprendizado. Temos erros em nosso passado? Consertemos os erros!

Não conseguimos consertá-los, pois a ação detonará mais tristezas no próximo, peçamos perdão a quem machucamos pelo caminho. Não podemos pedir perdão pessoalmente? Oremos para esse irmão ou irmã. O importante é não carregarmos culpa, pois ela é um fardo obsoleto e inútil para a criação do Novo Mundo.  

Na verdade o futuro é como uma estrada a ser percorrida! O amor o poderoso combustível do momento! Devemos muito mais nos preocupar em trilhar essa estrada, do que ficarmos a vida toda estudando a melhor forma de passar por ela, ou nos sentido culpados pelo que fizemos ou deixamos de fazer. Só a conheceremos, caminhando.

Sigamos adiante, com muito amor no coração, sem nos permitirmos estacionar, pois já fazemos isso há muito mais tempo que possamos imaginar. Apenas precisamos caminhar. Agora é a hora! É o nosso ponto de partida para a grande mudança.

Que o Mestre Amado Jesus esteja sempre conosco em toda a caminhada!

Por que as pessoas olham para cima quando falam com Deus?

Deixe um comentário

A retórica da pergunta apenas ilustra que, mesmo não compreendendo claramente o que seja Deus as pessoas tem um respeito inconsciente por Ele, de maneira que instintivamente procuram-No em algum lugar acima, talvez no céu, no espaço, enfim, sempre O colocam em uma situação elevada em relação a nós, Suas criaturas.

Em nosso entendimento e de todo cristão Ele é o Poder Maior; é o Tudo, é a Essência; é o Infinito; é a Quintessência. Logo, são vários os nomes para designar a mesma coisa, que é a Fonte Primordial de todas as coisas.

 A todos nós os Trabalhadores da Última Hora fica claro que é preciso exercitar a fé no Agora, posto que, aceitamos esta missão antes de encarnarmos neste momento pelo qual vive o planeta.

Um dos grandes objetivos desta encarnação é a maior espiritualização do trabalhador, mas tal coisa será impossível, se ele não entender a missão da qual está, (ou deva estar imbuído) em algo acima da sua condição de ser humano comum. Caso contrário ele teria fé apenas na matéria, o que seria um equívoco dos mais lamentáveis em se tratando de um momento de transição no Planeta Terra, para uma trilha no caminho da maior espiritualização de todos nós.

A Doutrina Espírita estabelece o caminho da consciência crítica: da mesma forma que é preciso não ser um descrente também é preciso que não se caia no erro da fé cega, pois nada pior do que uma crença irracional.  A crença irracional se caracteriza pela falta de questionamentos, sendo a crença em algo de maneira totalmente incondicional, o que em outras palavras significa fanatismo, onde existe até um temor de pensar em questionar o objeto dessa fé cega. Portanto, para os espíritas a fé é um exercício de crítica e estudos constantes, para entender os por quês de estarmos aqui.

Compreender a mensagem Divina significa estar ciente do que Ele é por isso não segue nenhum padrão da lógica humana, é saber que ele está e é em tudo, é compreendê-lo como a Causa e a Consequência de todas as coisas visíveis e invisíveis.   Mas tentar entender o Poder Divino é outra coisa. Tentar sondar seus mistérios, tentar encontrar a chave das suas ações, e algo que está além da capacidade humana.

O Poder Divino não será entendido. Sempre manifestamos a tendência de tentar entender o desconhecido com base nos nossos padrões racionais humanos, repletos das nossas definições pessoais a respeito daquilo que achamos ser o mais adequado, mas ignoramos que isso não pode se aplicar aquilo que transcende todo o nosso sistema lógico.  Deparar-se com algo que não pode ser definido nem explicado pelos nossos padrões é de fato uma experiência impressionante, mas a tentativa de classificar Deus se constitui também numa demonstração de falta de humildade e é por esta razão que a Doutrina Espírita não tenta entender o Poder Divino, mas sim compreendê-Lo e trabalhar com Ele.

A nós, Trabalhadores da Última Hora, não nos cabe rebelar-nos contra a ordem natural das coisas e temos de aceitar aquilo que não está sujeito à nossa vontade.  Por exemplo, a morte de um ente querido é sempre algo trágico, mas não controlamos esse tipo de evento, que obedece a um desígnio que está além das nossas sondagens e capacidade de aceitação. Certamente que se nos fosse dada a capacidade e o poder para interferir nesse tipo de evento nós perverteríamos a ordem natural e impediríamos que a morte atingisse nossos parentes e amigos, além de nós mesmos, e a concessão desse poder a nós seria algo extremamente injusto para com aqueles que não receberam a mesma capacidade. Por isso a Justiça Divina trata dessas questões sem nos consultar e a nós não nos cabe rebelarmo-nos contra isso. O mais certo nesse caso é aceitar que o Poder Divino está agindo segundo sua lógica e essa lógica não precisa ser compreensível a nós.   Não, meu irmão, a Doutrina Espírita não é conformista, mas realista, sabe que cada encarnação dá ao ser humano maior aprendizado, afinal sabemos que não vamos morrer. Morre o corpo físico, mas prevalece o espírito com todas as nuanças que já o revestia de pretéritas encarnações. Por outro lado, estou apenas explicando que vivemos num mundo criado pelo Poder Maior e que Ele estabeleceu as regras, portanto precisamos viver de acordo com elas.

Mas se a Doutrina Espírita diz que devemos questionar sem aceitar apenas, como não devo criticar algo que me traz infelicidade. Então, para ficarmos bem entendidos, não é errado elaborar teorias sobre o que é Deus, mas é errado questionar suas motivações, e ainda mais errado dizer que o Poder Divino foi injusto por ter permitido isso ou aquilo. A bem da verdade, a maior parte das situações em que a revolta fala mais alto em nosso íntimo e culpamos o Poder Maior por coisas ocorridas aqui, por exemplo, no caso de atentados terroristas que matam centenas de pessoas, em terremotos que eliminam vidas e destroem cidades, em tsunamis que engolem pessoas destruindo tudo que foi construído pelo homem, nos esquecemos de que essas coisas foram provocadas por nós e não mandadas por Ele. 

A nossa ignorância faz com que primeiro sejamos os agentes causadores das situações destruidoras e quando elas de fato se manifestam o nosso comodismo faz com que arranjemos um culpado, que pode ser qualquer um menos nós, e nesse caso o Poder Divino serve bem a esse papel.  Usamos nossa parca inteligência para culpá-Lo ainda mais, onde dizemos coisas como “Mas se Ele é assim tão poderoso por que então não impediu aquele terremoto que matou tanta gente?” Esse tipo de pensamento é o atestado da nossa ignorância, que faz com que não vejamos (ou não queiramos ver) que existem Leis que nem Ele mesmo viola, dentre as quais o livre-arbítrio. Assim, veja que: o respeito que Deus tem para conosco, suas criaturas, é infinitamente mais completo, do que o respeito que temos por Ele, que é o Criador.

Outros dizem que o Poder Divino passa a ser algo distante que não conseguimos conversar com Ele. Pois acho que há um total erro nessa afirmativa. Digo sim, que muitos se desacostumaram de falar com ele, porque se perderam nas ilusões da vida terrena e nas brincadeiras da matéria.

Muitos são os que dizem: se Deus criou, mantém o Universo e administra tantas galáxias e aglomerados então como poderia Ele dar atenção às preces de cada um de nós, já que tem coisas em escala cósmica para fazer?

Ora, se o nosso cérebro, por exemplo, administra todo nosso corpo, tem que manter o coração batendo, não se descuida do sistema respiratório, circulatório, etc., mas mesmo assim o cérebro sabe o que está havendo com aquela célula na ponta do dedão do pé.  Ele sabe se ela precisa de nutrientes, se ela está doente ou se está tudo bem com ela.  E como o cérebro sabe disso?  Ele sabe disso porque ele “ouviu” aquela célula.  A célula mandou um comunicado, e o cérebro ouviu o que ela tinha a dizer.  Não parece incrível que um mecanismo fabuloso como o cérebro, que tem todas as atribuições que ele tem consegue tomar conhecimento da situação de uma única célula no ponto mais afastado do corpo? Isso é muito interessante, mas verdadeiro.  Agora, se reconhecemos ser possível isso num mero cérebro humano, por qual razão seria impossível que o Poder Divino, mesmo com todas as funções administrativas do Universo não possa tomar conhecimento da situação individual de cada uma das suas criaturas?  Afinal, se Ele permite que suas criaturas tomem conhecimento das coisas que ocorrem mesmo nas regiões celulares mais distantes de seus corpos, então porque seria incrível que o Poder Maior não procedesse da mesma forma para com suas menores criaturas?  É essa complexidade que faz com que para muitos de nós seja difícil assimilar esses atributos do Poder Divino.

Também devemos ter em mente que o Poder Divino não será nosso Salvador, pois não está aí para atender aos nossos pedidos, quase sempre egoístas e materialistas.  Há pessoas que buscam a Deus unicamente para pedir favores, a que chamam de “graças”, e essas ditas “graças” notadamente sobre coisas materiais, em especial dinheiro. Há ainda aquelas, que se atrevem a tentar barganhar onde dizem a Deus que se Ele lhes conceder determinada coisa ou quantia elas serão melhores seres humanos, praticarão a caridade e o amor ao próximo. Talvez imaginando que o Poder Divino possa ser corrompido e que Ele se importa se a pessoa será boa ou má.  Pois é chegada a hora de essas coisas não mais poderem acontecer, em hipótese alguma. Você é o trabalhador e recebeu sua missão para construir um mundo novo e não esperar que tudo lhe venha do céu como o maná aos judeus na sua retirada do Egito.

Infelizmente são bem poucas as pessoas que buscam Deus como parte de seu caminho espiritual.  Há uma passagem bíblica que diz “Buscai primeiro o Reino dos Céus, e todo o resto vos será acrescentado”. Porém, algumas pessoas acham que pode haver um atalho onde se pode barganhar a concessão de favores, sem buscar a espiritualidade, sem fazer sua transformação no ser da nova era, ou seja, querem se aproximar de Deus não com o anseio de ascensão espiritual, mas, apenas para pedir-Lhe coisas mundanas. Sinto dizer, porém agora é a hora da separação do joio e do trigo. Se você não demonstrar seu trabalho nada lhe será dado de graça. Ainda é tempo! Transforme-se para melhor. Crie à sua volta um mundo mais alegre e feliz. Espalhe amor e bondade para todos que encontrar na vida e assim, o Trabalhador da Última Hora será recompensado e lhe serão perdoadas todas as faltas passadas. Esta é a sua última oportunidade.

Que o Mestre Amado Jesus nos acompanhe nessa transição!