O poder da oração

Deixe um comentário

A oração é como se fosse uma conversa com Deus, os santos ou seres angelicais. Contato telepático com esferas mais altas que não fazem mais parte da matéria densa. Uma dimensão mais elevada.

A prece faz parte de quase todas as tradições religiosas.

Você sabe a diferença entre orar e meditar? A meditação é um estado ideal de serenidade conseguido através da respiração, concentração e pausa nos pensamentos. Uma espécie de portal onde os pensamentos param e sua mente fica bem quieta. Serena. A mente se purifica das interferências terrenas. Nesse estado denominado alfa , a sintonia com os seres angelicais ou espíritos superiores fica mais fácil.

Quando meditamos ouvimos Deus. Quando oramos , conversamos com Deus.

Por que algumas preces não são atendidas? Soube do caso de uma senhora muito simpática que sofria de um problema crônico de saúde. Sentia muitas dores e os remédios quase não aliviavam a dor. Ela rezava para o restabelecimento da saúde. Suas preces não eram atendidas. Vivia sempre com dores fortes. Estava desacreditada de tudo de Deus, Jesus, da bondade e da esperança.

Quando estamos desesperados, muito angustiados ou revoltados não conseguimos contato com as esferas mais evoluídas. Nosso pensamento está confuso e a sintonia fica difícil. Os anjos podem tentar o contato, mas o desespero interfere. Como se quiséssemos ouvir música clássica numa rádio que apenas sintonizasse rock. A sintonia acontece na frequência correta da entrega, da fé e esperança.

Deus não se afasta de nós e, nem muito menos, a Espiritualidade Maior. Nós é que nos afastamos dessa Fonte Geradora de Bem Estar e Felicidade.

A prece sincera é um correio espiritual, uma conexão para uma internet mais avançada. O modem é a fé e o coração puro.

A oração precisa da serena expectativa de que será ouvido e atendido. Tudo, é óbvio, de acordo com seu merecimento. Deus atende a todos, mas , às vezes, de forma diversa do que você pediu. A Harmonia Divina funciona de acordo com as Leis de Amor, da Justiça e do Equilíbrio. Tudo faz em prol da nossa felicidade.

A senhora acalmou a mente. Ficou mais resignada. Depois disso, ela começou a orar com mais fé e suas dores foram aliviadas. Não conseguiu a cura completa, mas obteve alívio e reconforto. Faleceu anos depois, de forma súbita após um derrame cerebral.

Antes da morte, ela comentava que rezava muito. Pedia a Deus que não queria passar a velhice inválida numa cadeira de rodas. Era uma mulher alegre que adorava crianças, música e leitura. Deus atendeu suas preces e sua passagem foi tranquila!

Está comprovado cientificamente que a oração melhora o estado geral da pessoa doente. Um médico americano, William Harris, fez uma investigação científica para comprovar o poder da oração com os doentes de artérias coronárias internados num hospital. Doentes cardíacos.Fizeram parte da pesquisa 446 doentes.  Dez médicos acompanharam os doentes , sua evolução clínica sem saber dessa pesquisa.O pesquisador deu o nome dos pacientes a pessoas cristãs e pediu que elas rezassem por esses doentes acamados. Foi constatada uma melhora no estado geral dos doentes que receberam preces. Mais do que os restantes 524 pacientes, pelos quais, ninguém rezou.

“A oração muda qualquer situação. Confie nos milagres de Deus!” – diz um ditado popular.

Uma reforma íntima é necessária para o recebimento dos benefícios da prece. Essa reforma é a mudança nos seus pensamentos, sentimentos e atitudes. Eles têm que vibrar em consonância com o amor, a harmonia e o equilíbrio.

Se você estiver de mau humor ou muito angustiado procure mudar seu estado mental. Silencie os pensamentos. Tire o foco da sua preocupação. Depois disso, faça a oração. A oração não precisa de belas palavras. Não precisa ser longa. Basta que seja de coração. Seu coração esteja sereno e humilde.

Uma fé do tamanho de um grão de mostarda transporta uma montanha do lugar. A fé ativa a esperança e a transformação seu estado mental.

Saiba o que deseja da vida. Aprenda a orar pelos outros. Agradeça as coisas boas que você tem . A oração é um contato sublime que poderá fazer maravilhas por você.

Se estiver doente, peça saúde.

Se estiver sem dinheiro, peça prosperidade!

Triste, peça alegria.

No entanto, esteja predisposto à saúde, à fartura e à prosperidade!

Deus não condena a prosperidade ou a alegria. Lembre-se de Jó, que após passar por todas as necessidades voltou a confiar no Senhor e retornou a ser um homem rico e feliz.

Jesus não discriminou José de Arimatéia por ser um homem rico, ao contrário, foi José que auxiliou Jesus dando-lhe sepulcro digno para que a família e os apóstolos o enterrassem.

Qualquer estado limitador em sua vida é passageiro!

Vibre sempre na prosperidade mesmo que aparentemente esteja numa fase difícil!

Um homem estava muito doente. Quando foi diagnosticado com doença de Parkinson desesperou-se. Ele tinha muita fé em São Frei Galvão, mas morava muito longe. A fé e a esperança fizeram milagres na vida desse homem. Mesmo doente e enfraquecido viajou muito até chegar à igreja do santo.

Entrou na igreja e fez uma prece sincera. Pediu ao santo que o iluminasse. Desejava uma luz, um médico que realmente acertasse na medicação.

Dias depois , em sua cidade, apareceu a oportunidade de se consultar com um especialista no seu caso. O nome do médico caiu em suas mãos através de pessoas amigas. Marcou a consulta. Chegando ao consultório do médico, sua respiração ficou acelerada. Lá estava uma foto de São Frei Galvão. Sentiu vontade de chorar.

O médico estava muito bem inspirado. Indicou um exame e foi descoberta a verdadeira causa dos seus males. Tratou-se e está completamente curado! Voltará à cidade de Guaratinguetá para agradecer a graça à Frei Galvão.

A oração alivia, ameniza, cura e tranqüiliza. É um tranqüilizante natural assim como a esperança.
Independe de religião.

Uma senhora, doente renal, foi desenganada pelos médicos. Pediu à Espiritualidade amiga que a orientasse. Rezou muito para os médicos do espaço. Qual caminho deveria seguir? O que fazer?

Um parente lhe falou de um médium curador mineiro, o falecido Zé Arigó. Ela viajou muito para encontrá-lo. O mentor do médium, um médico alemão chamado Fritz receitou medicação alopática. Ela tomou os remédios e, em uma semana , estava completamente curada. Seu clínico geral não entendeu aquela cura milagrosa , porque ela estava desenganada.

Uma senhora desesperada orou com muita fé o Terço da Libertação( dos católicos) e conseguiu que o filho se livrasse das drogas.

Um rapaz, excelente pedreiro , estava com a vida arrasada pelas drogas e perdas financeiras. Durante à noite, ajoelhou-se e pediu a Jesus que mudasse sua vida. Precisava de auxílio e cura. Queria morrer! Alguns dias depois, um amigo que não o via há muito tempo foi procurá-lo em sua casa. Depois dessa conversa, o amigo lhe convidou para um culto evangélico. O pedreiro concordou. Converteu-se à religião evangélica e hoje está casado e feliz.

Uma jovem de trinta anos entrou em depressão de modo repentino. Seu marido ficou desesperado. Os remédios não faziam efeito. Ela ficava somente no quarto chorando. A família toda rezou para ela. A avó da jovem sentiu um forte ímpeto. Dias depois , a levou num terreiro de umbanda onde ela recebeu os passes de um abnegado preto velho. Era o mentor do médium da casa. Depois de alguns dias, a melhora foi imediata. A jovem aliou tratamento médico ao espiritual e, hoje, está completamente curada da depressão.

Maria, uma senhora de 45 anos, ficou viúva de repente. O marido morreu de ataque do coração. Ficou desesperada. Sozinha. Pediu a Jesus que iluminasse sua vida daquele dia em diante. Queria forças para criar os filhos. Um mês depois, uma grande amiga a levou a um culto dos Testemunhas de Jeová. Maria conheceu a Bíblia. Empolgou-se. Sua mente ficou serena. Conseguiu forças para criar os dez filhos que estão todos encaminhados. Os mais velhos conseguiram emprego e ajudavam no sustento da casa.

Além disso, sua vida passou a ter o propósito de servir ao próximo. A tristeza abandonou seu coração . Faleceu repentinamente aos 90 anos de idade. Foi uma mulher respeitada e muito amada por todos os seus.

João era um homem solitário e deprimido. Bebia muito e o vício estava lhe prejudicando a saúde e a vida profissional. Freqüentemente, caía na rua e precisava ser internado com urgência. Teve traumatismo craniano e quase morreu. Depois de muitos dias no hospital, restabeleceu-se completamente. No entanto, continuou a beber. Meses depois, morreu seu velho pai. Sentiu-se mais desorientado ainda. Tinha vontade de acabar com a vida. Começou a rezar para seu pai com freqüência. Desejava morrer! A vida não tinha mais sentido para ele!

Uma noite, sonhou com o pai. Ele estava sorrindo e apontava para um centro espírita que ficava perto da sua casa. João relutou, mas um dia, resolveu entrar na casa espírita. Só por curiosidade. Gostou das palestras. Acalmaram seu coração. A freqüência assídua ao centro espírita lhe trouxe muitos benefícios. João transformou sua vida e parou de beber. Meses depois, conseguiu uma promoção no emprego. A auto-estima e a alegria de viver voltaram!

A oração é um presente de Deus!

No entanto, é preciso agir para receber os benefícios! Estar atento! Pronto! Com a mente positiva!

Se estiver desiludido, desesperançado e sem forças para orar, faça apenas um pensamento. Eleve a sua mente a Jesus e Ele trará alívio e esperança!

Que Jesus, o Mestre Amado, esteja sempre presente entre nós!

“Seja a paz que você deseja ver no mundo”. Gandhi

Deixe um comentário

Temos por hábito acreditar que o homem sempre foi violento. Que desde a criação do mundo e o aparecimento do homem sobre o planeta o mais forte sobrevive, enquanto o mais fraco torna-se subserviente ou morre. Entretanto, essa é uma história recente de nossa raça humana.

Somos uma raça jovem neste planeta Terra. Aqui vivemos há mais ou menos 150.000 anos, como homo sapiens.

No período entre 52 a 45 mil anos atrás ocorreu a invasão da Europa, através da Turquia e Bulgária, com grupos de homo sapiens, recebendo então a denominação de Homem de Cro-Magnon, chegando a migrar até ao Oceano Atlântico (através da França, Espanha e Portugal), espalhando consigo pela Europa a cultura Aurignaciana. Nesse período a Europa era habitada pela espécie Homo Neanderthalensis, essa convivência inicial foi pacífica, com as espécies convivendo de forma harmônica e benéfica para ambas, com os Homo Neanderthalensis demonstrando grandes saltos evolutivos na confecção de ferramentas e melhora no estilo de vida, desenvolvidos com a observação e imitação dos Homo sapiens.

Entre 45 e 25 mil anos,  ocorre a migração de grupos europeus e que estavam no sul da Rússia (Ásia Central) para o extremo norte da Rússia, esse mesmo grupo que se encontrava na Ásia Central, parte dele migrou também para o extremo leste da Rússia juntamente com populações que vieram do nordeste da China (Haplogrupo B) e populações da Ásia Central (Indochina), chegando até o Estreito de Bering (que possuí hoje cerca de 85 km de largura e profundidade de 30 a 50 m, com as Ilhas Diomedes situadas bem no meio do estreito, porém em períodos de resfriamento global, as chamadas Eras Glaciais esse estreito se transformava em uma ponte de terra entre a Sibéria e o Alasca interligando os continentes Ásia e América do Norte).
Nesse período a densidade de hominídeos aumentou na Europa, reduzindo assim a oferta de alimentos, a convivência começou a se tornar difícil, iniciando uma série de conflitos entre as espécies Homo Neanderthalensis e Homo sapiens, que culminaram na extinção dos Neandertais há 27 mil anos atrás. Existem teorias de que podem ter ocorrido cruzamentos entre as espécies Homo sapiens e Homo Neanderthalensis, permanecendo ainda hoje alguns genes Neandertais em nosso DNA. Estudos de sequenciamento genético no Homo Neanderthalensis estimam uma taxa de intercruzamento de 1 a 4 % entre essas espécies. Esses intercruzamentos podem ter auxiliado no processo de extinção dessa espécie, provocando a absorção dos genes da espécie pelos Homo sapiens que eram mais numerosos.

Estudos em sítios arqueológicos demonstram que as guerras começaram a não mais que 7.000 anos. Tivemos antes, um longo período de convivência menos violenta, mais cooperativa.
O século passado deixou uma marca dolorosa na nossa história humana. Nunca se matou tanto. Morreram 111 milhões de pessoas em conflitos bélicos no último século.

Agora se a esse número somarmos os mortos, vítimas da violência de trânsito, da violência urbana e daquela causada pela disputa de terras, e mais os da violência doméstica, das brigas, e ainda os números das mortes causadas pela fome, por falta de saneamento básico e de água tratada, daquelas causadas pelo narcotráfico e por outros crimes, não há dúvida que o século XX ficará para a eternidade como o século da tecnologia, mas também como o século mais sangrento e violento da humanidade.

É hora de repensarmos novas formas de convivência pacífica entre a raça humana, assim como com nosso planeta Terra e todas as espécies que aqui vivem. Para isso a ONU criou seis princípios a serem colocados em prática por todos os habitantes do planeta:

1. Respeitar toda a vida
2. Rejeitar a violência
3. Ser generoso
4. Ouvir para compreender
5. Preservar o planeta
6. Redescobrir a solidariedade.

Desta forma, paz e amor ao próximo não mais será algo individual, cultivado no íntimo de cada um. Também não é ausência de divergência de opinião, mas extinção do conflito. A Paz deve ser construída nas relações interpessoais, entre nações, entre religiões. Paz é mais que um exercício de paciência. Paz é um exercício constante de coragem, amorosidade, tolerância, esperança, cooperação e solidariedade.

Devemos nos reeducar, extirpando de nosso meio o exercício constante da desconfiança, da força, da competição, da busca do sucesso e da fortuna a qualquer preço.

A cultura da violência gera violência. Para que isso mude é preciso reeducar nosso pensamento, que passará ao nosso comportamento ao falar e agir. Policiar nossos pensamentos a todo instante será uma forma de reeducação e evolução.

Nossos ídolos de pés de barros que são heróis de guerra, usam armas letais, são violentos. Impõe-se através da força bruta e estrategista. Destruir o inimigo é o objetivo. Ou então, são aqueles que vencem no mundo. Tem sucesso, prestígio, dinheiro, bens. Importa pouco ou nada o que fazem para chegar lá. Tudo é válido.

Alguns dos valores de nossa sociedade atual são: pressa, dinheiro, luxo, sucesso, prestígio pessoal, individualismo, consumismo, fama, competição.

Há uma pressão gigante para que todos se mostrem sempre felizes e bem sucedidos. Mas eis que surgem as angústias da sociedade e elas vem em forma de queixas, sofrimentos, tensão, estresse, famílias desestruturadas, solidão, medo, ansiedade, depressão, desassossego, falta de paz, tédio, angústia, falta de sentido para a vida.

Como depreendemos é necessário nos auto-educarmos, porque somente a autotransformação de cada um e de todos nós criará condições sociais para uma convivência solidária, pacífica e cooperativa. Criaremos o paraíso na Terra e evoluiremos realmente, enquanto o planeta evolui.

Que o amor do Mestre Jesus nos abençoe hoje e sempre!