A transição do Ser Humano para Anjo Humano já está ocorrendo aceleradamente

Deixe um comentário

 

Albert Einstein afirmou: “A religiosidade dos sábios consiste em se espantar e se extasiar diante da harmonia das leis da natureza, revelando uma inteligência tão superior que todos os pensamentos humanos e todo o seu talento não podem desvendar. Esse sentimento desenvolve a regra dominante de sua vida, de sua coragem, na medida em que supera a escravidão dos desejos egoístas”.

 

Somos seres sensíveis e temos a total característica, já evoluída, para prever, diante dos presentes dias que estamos vivendo, que algo está para acontecer.

Na verdade o inconsciente coletivo do planeta está ciente dessas coisas, mesmo porque são informações que estão sendo veiculadas no mínimo desde o tempo de Jesus sobre a Terra, o que significa que não é nada novo. A novidade é que somos nós que estarmos vivendo esse processo na atualidade.

Neste passo, precisamos nos interrogar do por que estarmos aqui neste momento?

Para respondermos intimamente a essa pergunta basta recorrer às profecias. Reportemo-nos  ao exemplo de Jesus que profetizou a destruição do Templo de Jerusalém, ocorrida por volta do ano 70 d.C, muito depois da morte de Cristo. Na ocasião em que ele e os apóstolos admiravam a beleza do Templo, quem poderia prever que o mesmo viria a ser completamente destruído, 40 anos depois?

Como no tempo de Noé, assim acontecerá na vinda no final desta Era. Pelos acontecimentos atuais já estamos vivendo o cumprimento delas. Jesus disse que quando chegassem esses tempos, estaríamos vivendo normalmente.  Como nos dias que precederam o dilúvio, comiam, bebiam, casavam-se e dava-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Conforme descrito em Mateus, 24.

Os cientistas e estudiosos, analisando com aparelhos modernos rochas, camadas sedimentares, fósseis, fundo do mar, geleiras, migrações de aves e animais, fotos tiradas pelos satélites, etc., chegaram à conclusão de que a  Terra é muito mais antiga do que se imaginava. Calcula-se a idade da Humanidade em milhões de anos, segundo Charles Berlitz. Diante disso sabemos que a Terra já teve várias transformações. Isso não é novidade.

Assim os ciclos de Renovação da Terra decorrem dessa descoberta, e do estudo detalhado delas, concluíram que a Terra sofreu pequenas e grandes alterações durante esses milhões de anos em seu eixo, ora vertical e ora inclinado, em seu sentido de rotação ( já girou no sentido horário e anti-horário), na polarização Norte e Sul, e até na ordem de sua localização em relação ao Sol e quanto à existência de seu atual satélite, a Lua.  Além disso, sabe-se hoje que a Terra já passou por inúmeros ciclos. E as determinantes dos ciclos são catástrofes, que produzem grandes alterações, destruindo civilizações como a da Lemúria, e mais recentemente, a da Atlântida. Essas catástrofes provocaram renovação e teoricamente evolução. Os estudiosos místicos denominam de RENASCIMENTO, que parece ser justamente esse o objetivo da natureza. Ou a lei de Lavoisier “ Nada se cria, tudo se transforma”.

Qual a necessidade dessa renovação da Vida?

Talvez e, possivelmente, a manipulação da energia de forma irresponsável e suas possíveis consequências. Segundo estudos, os atlantes eram tão tecnicamente adiantados que conseguiam até manipular a mente das pessoas através de um misterioso “raio”. Possuíam engenharia genética tão avançada que faziam experimentos onde produziam seres resultados do “cruzamento” entre homens e animais ou aves, produzindo escravos através desses “cruzamentos”. Há quem diga que o Minotauro é um desses casos. Além disso, os atlantes eram adiantadíssimos na captação e no uso de energias. Captavam e acumulavam energia através de pirâmides, dos cristais.

Hoje estamos novamente manipulando energia para tudo, inclusive para cura de doenças, com a possibilidade de o homem viver muito mais e um delírio onírico de perpetuar a vida física.

Todo conhecimento necessita de muita responsabilidade para que não causar danos ao planeta ou à evolução do ser humano.  O desequilíbrio gera consequências nefastas. Conhecimento e responsabilidade precisam caminhar juntos.

As prováveis causas que  podem gerar o fim deste ciclo:

•O degelo da camada polar provocaria um aumento considerável nos mares, provocando submersão de terras e emersão de outras. A vida continuaria e a renovação seria geral.

•O impacto de um asteróide ou coisa parecida, como o que provocou o fim da Era dos Dinossauros, por exemplo, muito embora a vida tivesse continuado de forma renovada.

•A simples retificação do eixo terrestre, cuja inclinação pode ter provocado o afundamento da Atlântida, poderia provocar um abalo e modificações profundas na superfície terrestre.

Os cientistas e pesquisadores se inclinam a pensar na possibilidade do perigo vir do Espaço, do Cosmos: através de fotografias de satélites foi que se descobriu, sob as areias do Deserto do Saara, o antigo leito do Rio Nilo, da época em que ele desembocava no Oceano Atlântico. Onde se situa esse deserto hoje, é que se deduz que se situava o Jardim do Éden, de que a Bíblia fala. O deslocamento que gerou essa grande alteração pode ter sido provocado por um cometa ou planeta que passa próximo à Terra, com intervalos regulares de milhares de anos e que, se passa longe, nada acontece conosco, mas quando passa perto provoca catástrofes. A NASA lançou dois telescópios no espaço e os cientistas procuram localizar esse corpo celeste, e pensam em destruí-lo antes que faça maiores estragos.

Por outro lado, a simples retificação violenta, instantânea, do eixo da Terra, prevista pelo grande e saudoso astrônomo Carl Sagan, pode provocar ondas de mais de 600 metros de altura. Neste caso, o arquiteto e vidente brasileiro Luís Scorteci de Paula disse que São Paulo estaria protegida pela Serra do mar, que tem 1000 metros de altura. Mas essa retificação também provocaria deslocamentos de placas tectônicas, desaparecimento de continentes, alagamento de zonas baixas… Como já vimos no tsunami, na Ásia, nos últimos dias de dezembro de 2004. Ou Nova Orleans, mais recentemente.

Como o propósito da vida é a evolução consciente os ciclos são necessários para passarmos a novo estágio de consciência e nosso planeta evoluir de planeta de provas e expiação para o de regeneração. Assim sairemos de nosso primitivismo na administração do planeta e passaremos a respeitá-lo mais, como também respeitar nosso próximo, como já deveríamos estar fazendo.

Dessa forma será apenas o fim de uma Era e não o fim do Mundo.

Assim a responsabilidade pessoal de criar boas energias dentro de nós através de pensamentos, emoções e atitudes que promovam a união e a paz poderá suavizar essa passagem e nos dar chances de estarmos evoluindo juntamente com o planeta.

Portanto é preciso extirpar de nosso íntimo antagonismos, falta de compreensão, intromissão e tantos outros defeitos que tornam a vida em sociedade um peso muito grande. Toda essa bagagem negativa precisa ser esvaziada completamente, mesmo que achemos difícil essa tarefa.

Os aquinhoados e evoluídos, com mais sensibilidade,  percepção e inteligência, precisam ajudar aos demais emitindo ondas mentais positivas para que a egrégora criada no planeta se dissolva ou amenize.

Precisamos adquirir a visão da águia, que vê a realidade de vários ângulos e de grande altura. E como o ser humano é um ser social, vivemos com muito mais alegria quando vivemos em compreensão e paz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s