Regeneração Humana

A Sabedoria Antiga indica a vivência da Fraternidade Universal, o incentivo ao estudo de forma comparada das diferentes áreas do conhecimento humano e a auto-observação, como as principais ferramentas para o homem alargar da sua concepção do universo e da sua própria realidade, adquirindo assim progressivamente, uma nova consciência desenvolvida na sabedoria e na bondade, uma evolução e um exemplo dessa mesma evolução para com os seus semelhantes, à qual, se transmutará numa regeneração humana. A possibilidade desta regeneração, mesmo que uma predestinação dela, é talvez a verdade mais inspiradora da Teosofia. Para que isso seja uma realidade, é necessário haver mudanças fundamentais no comportamento humano.Mudanças fundamentais:

 

1. NA EDUCAÇÂO

Partindo da princípio de que a reencarnação é uma evidência, e não faltam estudos universitários credíveis sobre este fato, o ser humano encarna à nascença uma nova natureza. A coleção das memórias e personalidades psíquico-físicas das existências anteriores, não fazem parte da nova vida. Esta inocente pureza infantil, vai desaparecendo através da experimentação de novas sensações, emoções e pensamentos que irão progressivamente despertar reminiscências das qualidades positivas e negativas das personalidades anteriores. É aqui que os progenitores e educadores têm um papel extremamente importante, especialmente nos primeiros anos de vida, evitando situações que despertem essas reminiscências de cariz baixo, reparar imediatamente qualquer novo aspecto nefasto que possa aparecer e realçar as vertentes positivas que florescem no seu carácter. É que esta idade permite muito mais facilmente, corrigir as imperfeições e os vícios das existências passadas, devido à plasticidade da sua natureza. Assim, os pais e professores ajudam a moldar a futura personalidade, de uma forma muito mais sã e equilibrada, através da educação, que é a base para uma evolução mais rápida por parte do Ego encarnante. A verdadeira educação tem como método, a orientação do ser para a descoberta dos valores perenes da vida, que surgem com a investigação livre de preconceitos e com auto-conhecimento adquirido através da auto-observação. Tem como objectivo proporcionar os melhores conhecimentos à criança, permitindo-a agir com lucidez e eficiência no mundo, e criar as condições necessárias ao seu desenvolvimento rumo à perfeição. Tudo isto significa fornecer-lhe o incentivo para florescer em bondade, a fim de que tenha uma correta relação para com as coisas, para com as ideias e para com a vida em geral, e porque viver é relacionar-se também, não existe um bom relacionamento se não houver sensibilidade estética bem desenvolvida à beleza, à natureza e à arte, verdadeiros estímulos à cooperação inteligente para com o próximo e para com os outros seres em geral.A educação não deve consistir apenas no acumular de conhecimentos, memorização e na leitura de livros. Deve essencialmente ensinar a aprender, a olhar, a compreender, a sentir o que os livros ensinam e a discernir se o que eles dizem é verdadeiro ou falso. Garantindo assim, uma verdadeira aprendizagem, no sentido de solucionar os verdadeiros problemas espirituais. Por isso, numa educação correta, é imprescindível que o educador não ensine só as bases técnicas, mas transmita também, uma visão holística integrada da vida, pela observação e pela experimentação, incentivando à criatividade, à descoberta das vocações, à dissipação dos medos; afim de criar seres humanos mais sensíveis, inteligentes e equilibrados.Deve proporcionar ao ser humano o desapego às fórmulas e repetição de falsos slogans, para que possa ser livre, desenvolver a sua inteligência de forma a não se transformar num autômato padronizado por um molde imposto de conduta social que em nada o elevaria como ser humano.A natureza demonstra que o amor tem a capacidade de transformar o homem individualmente. Este, por sua vez, repercute-se por osmose na própria sociedade. Por isso, o ato de educar, deve ser um ato de amar. Esta união de amor entre o educador e o educando, é a base para proporcionar uma transformação profunda no seres humanos. É a base para a Regeneração Humana.

2. NA LIDERANÇA

Liderar é influenciar o rumo dos pensamentos e sentimentos dos outros. Ao analisar bem este fato, descobrimos que é algo que constantemente o fazemos. E porque todo o Universo é uma panóplia de interacções, assim também existe uma liderança recíproca em todas as coisas bem como em todos os seres. Por isso, nesta cadeia evolutiva, tudo o que é humano ou para além dele, tudo o que é animal, vegetal, mineral ou dévico, diz-lhe respeito, influencia-o de certo modo e é influenciado por ele. Ter consciência plena das nossas ações é algo que devemos fazer, visto agirmos permanentemente sobre a vida dos outros seres de modo claro ou sutil. Mas não nos podemos esquecer que também atuamos sobre a nossa própria vida. Ser um líder de si mesmo não é tarefa fácil, mas é algo inevitável. A sabedoria antiga diz-nos que antes de darmos o primeiro passo para uma verdadeira liderança sobre si e sobre os outros, é necessário mergulhar no silêncio interior e praticar o auto controle mental, afim de obter uma unidade interior que o leve à verdade. O Tão-te King, diz-nos: “sei por experiência, que pretender conquistar e manipular o mundo não dá certo. O mundo é uma coisa espiritual. Quem o manipula, destrói-o. Quem quiser segura-lo, perde-o … Por isso o sábio evita todo o excesso.”O abuso do poder por parte dos políticos para benefício próprio, encontra-se nos valores exagerados do eu.A Sabedoria Antiga ensina-nos o valor do serviço. E este caminho dificilmente poderá ser traçado, por quem não esteja preparado para renunciar aos seus interesses pessoais, conscientes ou inconscientes. Porque cada um de nós presta um serviço ao outro. Se cultivarmos o hábito de executar esse serviço deliberadamente, a nossa aspiração de servir tornar-se-á mais forte e contribuiremos assim, não apenas para a nossa felicidade, mas também para a felicidade do mundo como um todo.

3. NO RELACIONAMENTO

As novas teorias científicas anotam, que ao contrário do que o darwinismo pensa, não foi a competição, mas sim a ajuda mútua que possibilitou, desde o início da vida, a evolução das espécies.As teorias de Gaia, da ressonância mórfica (formas de pensamento), da física quântica, bem como de outras áreas, como a biologia, ou a aplicação da arquitetura, etc. integram já uma visão holística da vida. A natureza como um todo, unida, formando ela própria um ser vivo, onde todos os fenômenos são dependentes e interligados. Como tal, o ser humano encontra-se dentro desta rede de vida. A consciência deste fato, implica uma transformação do relacionamento do homem para com todas as outras coisas, e desta forma para consigo próprio, originando um despertar irreversível, onde o amor humano é cada vez mais consciente pelas inúmeras formas de vida do universo. Este despertar, provoca uma evolução, que está para além do intelecto, derivada da experiência verdadeiramente espiritual relacionada com o viver e o sentir, onde cada ser descobrirá dentro de si, a presença da energia cósmica, a Centelha Divina que o Anima.Como parte da regeneração humana que hoje vivemos e apesar de todas as perturbações, o homem atual tende a praticar parcialmente a fraternidade activa, combinando desde já, afeto generoso com respeito, amor com liberdade, solidariedade com independência e ética com desapego.

4. PERANTE OS PROBLEMAS

Não podemos continuara a ignorar a morte anualmente de milhões de pessoas pela fome, na sua grande maioria crianças. Não podemos continuar a ignorar o sofrimento de tantos outros doentes e subnutridos, quando o dinheiro que se gasta em armamento daria para resolver praticamente todos esses problemas. Não podemos continuar a ignorar a destruição física e humana que essas armas bélicas provocam, quando uma parte da humanidade vive centrada em si e no seu luxo.Ao estudarmos as principais civilizações do passado, verificamos uma ciclicidade processual análoga a todas elas, de gênese, desenvolvimento, colapso e desintegração. A nossa não irá fugir à regra. O problema é que esta civilização é global, e como tal, pode trazer consequências desastrosas a nível planetário. A única maneira de solucionar o problema é tentar transcender os métodos redutores cartesianos, como fez a nova Física, ao adotar enfoques intuitivos. Todos os problemas atuais, como o cancer, o crime, a poluição, a pobreza, etc. são faces diferentes de uma só crise. Pois todas estas feridas estão interligadas e não podem ser entendidas por métodos fragmentários, como têm tentado solucionar as entidades ditas competentes, mas sim de uma visão una da realidade. Portanto, é preciso um novo paradigma para dar ao homem uma visão capaz de resolver todos estes problemas de uma forma integrada. A missão do homem atual está cumprida. Ele conseguiu desenvolver o mental concreto, o poder e a força. A regeneração humana que implica uma nova visão da percepção da vida, da mente, da consciência e da evolução espiritual é o próximo objetivo da humanidade. A futura civilização deverá ser mundial, democrática, socialmente justa e organizada; a partir da percepção da fraternidade, do Amor, da Sabedoria, da interdependência dos povos, das culturas e das outras formas de vida.
Só assim se poderá solucionar a esmagadora maioria dos problemas pessoais e globais, e construir uma nova humanidade regenerada.

5. NA MENTE

A mente tem uma natureza dual. Uma parte é influenciada pelas sensações da matéria e do desejo, cujo seu funcionamento, está na percepção separada e limitada das diferentes formas existenciais e no seu relacionamento entre elas. A outra parte da mente, iluminada pela Intuição, conhece e vive a unidade para além das formas, onde a sua comunhão, dá-lhe acesso direto à verdade, e a sua fusão, faz dela a própria verdade. Por conseguinte, a única maneira de percepcionamos a realidade, é vivênciá-la ao seu mais alto nível. Para isso, é necessário meditar sobre o propósito da Vida. Nesta tarefa, o discernimento e o desapego, são as traves mestras para que o homem se deve apoiar, afim de libertar a mente das amarras da matéria e dos desejos de posses, de posições e de poder, que são a origem de toda a separatividade, do egoísmo e da indiferença perante os outros. O Yoga descreve a meditação como a via para o Samadhi, a completa ausência da dualidade. Nesta perspectiva, meditar no propósito da Vida, tem a capacidade de harmonizar a mente e proporcionar uma unificação da dualidade da mente, que permita a manifestação nela própria, da mais alta natureza espiritual, dando assim origem à Regeneração do Homem. A mente torna-se completamente livre das influências que anteriormente a perturbavam, fica inalterável às flutuações externas das condições da matéria Física e Emocional, como o calor e o frio, o sucesso e o insucesso, o sofrimento e a alegria, etc. A consciência retira simplesmente a essência dessas experiências, que sabe ser efêmeras, transmutando-as em sabedoria. Esta nova natureza da mente é a tranquilidade, mas esta particularidade não significa menos percepção dos movimentos da matéria. Muito pelo contrário. A sua sensibilidade aumenta exponencialmente, onde cada fenômeno passa a ter uma intensidade tal, que o indivíduo tem a percepção plena desse fenômeno, funde-se com o próprio fenômeno, mas essa fusão não significa uma perda da consciência da sua individualidade como ser. Também não nos podemos esquecer, que o pensamento é a maior das forças. Ele cria primeiro a imagem e depois provoca a sua realização nos planos concretos e emotivos. Por isso é necessário aproveitar, controlar e direcionar a energia que o pensamento emana.Quando as emoções são harmoniosas, o altruísmo como exemplo e o progresso como meta; a Intuição liberta-se, os sentidos expandem-se, os Veículos são purificados, e passa assim, a existir uma Harmonia integral. A consciência humana viaja rumo à Sabedoria, a mente inferior funde-se com a superior e a Regeneração do Homem aparece.

CONCLUSÃO

Apesar dos enormes progressos da biologia atual, ela não é capaz de resolver as grandes questões como a origem das formas, dos instintos, da inteligência e dos processos espirituais.
O homem não é simplesmente um ser constituído por um corpo físico com cerca de 70Kg de proteínas. Os fenômenos da vida como o metabolismo, o crescimento, a matriz, a regeneração, etc. não podem ser explicados apenas pelos processos bioquímicos que atuam o homem.
Um princípio Ordenador superior, não local, liberto das amarras da matéria mais densa, vai moldando a forma, para progressivamente manifestar-se melhor nela, adquirindo assim, novos aspectos que permitam a evolução. Tal como nos diz Radha Burnier: “Todo o movimento da vida avança no sentido da manifestação externa da perfeição latente ou potencial”. Outro fato importante é a impossibilidade de dar completa expressão à verdade, através de conceitos e palavras. Alcançar a verdade é ter uma percepção profunda da natureza de um fato da vida, ou da vida como um todo. Esta realidade última, só pode ser alcançada através da Sabedoria. Mas esta Sabedoria não é ter uma quantidade imensa de conhecimento científico, técnico, filosófico, religioso, etc. Pois o homem pode ter todo esse conhecimento, sem que se altere o seu comportamento ou a sua relação para com os outros seres. Esse tipo de conhecimento não é Sabedoria. A Sabedoria alcança a verdade através da compreensão da unidade, para além do conhecimento fragmentado. Ela produz relações harmoniosas. Ela torna-nos conscientes, de que em todos e em cada um, existe a possibilidade de crescer até alcançar a bondade, a verdade e a iluminação. Neste momento em que nos encontramos, a evolução física é de certa forma irrelevante, como mostra o estudo da evolução biológica humana. Ela diz-nos que temos a mesma estrutura e tamanho do cérebro e do corpo, desde à 50.000 anos. O que permite constatar, uma estagnação da evolução biológica. Nesta sequência, o aperfeiçoamento humano decorre mais especificamente noutros níveis que se encontram para além do físico: o nível social, o cultural, o erudito, o espiritual etc. Por isso, o homem deve virar-se para si mesmo através da auto-observação. Este método permite perceber que as causas dos seus problemas não estão fora dele, mas têm origem profunda na sua psique. Os desafios para resolver o grande problema da vida espiritual, é renunciar ao egoísmo, abandonar a noção de que existimos como entidades separadas do resto e reconhecer a existência de algo indescritivelmente mais valioso que habita em nós e no interior de toda a existência. Perceber isto e trabalhar a mente para atingir estes objetivos com perseverança, retidão e amor, homem alcançará o auto-controle necessário para que se transmute, dando origem à sua própria regeneração. Um novo Homem nasce com consciência holística, capaz de amar incondicionalmente todos os seres, aberto a toda a bondade, à verdade, à pureza, à humildade e à beleza. Um homem que irradia paz e sabedoria.
Um Homem que trabalha à Glória do Logos,
Paz a todos os Seres

Jorge Moreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s